terça-feira, novembro 11, 2008

Yma Sumac (1922-2008)


Desaparecida também este mês, Yma Sumac, cantora peruana com voz que abarcava até perto de cinco oitavas, foi um prodígio que também me apraz homenagear. A sua voz, o seu exotismo e as capas dos seus discos mais antigos fazem parte do património universal dos legados prazenteiros desta vida. Para ouvir muito de vez em quando.

7 comentários:

Paulo disse...

Um outro prodígio. A extensão vocal era impressionante.

John Lester disse...

Sou seu seguidor.

JL.

CigarraJazz disse...

Obrigada, Lester, também já sou sua seguidora.

Ana Oliveira disse...

E, de novo, não posso deixar de comentar!

Yma Sumac...que comecei a ouvir aos 15/16 anos.Para completar o mistério que a rodeava, para criar ambiente, a minha irmã e eu, ouviamos à luz de velas, comtemplando as capas, para nós aterradoras, com imagens de cabeças mirradas, imaginando um povo estranho e belo, dançando estranhos rituais.
Uma voz que ia do cristal ao rouco...do grito ao soluço...
Para ouvir em dias de soltar a raiva.

Ana

CigarraJazz disse...

Ana, já não me lembro há quanto tempo dela tomei conhecimento, só sei que, há 2 ou 3 anos, jantei em Paris ao som da sua música. Foi uma experiência surreal.

Ana Oliveira disse...

Tive a sorte de ter em casa, nos anos 70, três discos long-play, já nem lembro as rotações, com capas lindissimas e estranhas como já disse. Infelizmente perderam-se nas voltas da vida!
Jantar, em Paris ao som da Yma deve ter sido surreal...imagino!

nike dunk disse...

can u leave ur phone number to me???