domingo, março 29, 2009

Só passei para dizer que:

Devido a problemas com comunicações cá por casa, net que não funciona, telefones que também não, técnicos que não resolvem os problemas, enfim, uma beleza, tenho andado mais intermitente do que o habitual. Ontem, por exemplo, era suposto fazer uma chamada de atenção para um programa cinco estrelas, de que só não usufruí por motivos bem comezinhos (surda de um ouvido, por causa da renite alérgica, tempo frio e ventoso...) mas que, para uma comodista como eu, desmobilizam o propósito: o concerto das três Marias no Centro Cultural de Cascais, por obra de João Moreira dos Santos, do JNPI, em homenagem a Luís Villas-Boas. Tive uma pena imensa de não ter comparecido. As três Marias (Anadon, João e Viana) prometiam corresponder às expectativas e, basta conferir aqui para se ver que deve ter sido bem agradável. Os dois vídeos YouTube sempre servem de lenitivo, mas sabem a pouco.

terça-feira, março 17, 2009

Yemanjazz - Uma boa descoberta


YEMANJAZZ_MininasdiCafé VCLIP from ivan goite on Vimeo.

Acabo de descobrir este grupo e corro a divulgá-lo, para já porque a sua música condiz com este Verão antecipado que nos invadiu o Inverno. É uma lufada de ar fresco em Portugal com exotismos de outros lugares. Lembra muita gente grande do jazz de fusão, Edberto Gismonti, por exemplo, mas também Coltrane, também por exemplo. Prazer em conhecê-los, Yemanjazz.

domingo, março 08, 2009

Uma prenda da nprmusic no Dia da Mulher

Para comemorar este dia, seis bons exemplos de mulheres no jazz. Nesta selecção, feita pela npr, podemos ouvir a pianista e compositora Mary Lou Williams,  a "rainha" do orgão Hammond B-3, Shirley Scott, a veneranda pianista, Marian McPartland, a pianista Geri Allen, num registo mais afro, Regina Carter, que tem, no tema aqui escolhido, a particularidade de o executar no violino que pertenceu a Paganini, um Guarneri del Gesu, tendo sido a primeira artista de jazz a quem foi permitido fazê-lo,  e Maria Schneider, a excelente compositora, orquestradora e maestrina, num tema que invoca tempos mais clássicos. 

sábado, março 07, 2009

Flores pelo 8 de Março


Antes que me passe o entusiasmo, fica já aqui escrito que li com sofreguidão a entrevista a Patti Smith, publicada esta sexta-feira no suplemento do jornal "Público", Ípsilon, a propósito da recente estreia do filme biográfico "Patti Smith: Dream of Life", já aqui referenciado. Fiquei a saber que gosta de Fernando Pessoa, que sempre sentiu fascínio por Lisboa, que, embora não beba, gosta de vinho do Porto, que também gosta de Wagner e de Waltraud Meier (cantora lírica alemã), que gosta de fado e que até tem em curso o projecto de um livro sobre Lisboa. Em resumo, temos muito em comum, o que acrescenta ainda mais ao quanto gosto dela. Uma mulher fantástica. O filme, que já tinha visto há uns meses, quando da sua primeira exibição em Lisboa, não sendo uma obra prima, consegue captar bastante do essencial para se perceber quem é Patti Smith, o que a motiva, o que a torna tão especial, a sua arte, o seu quotidiano, o seu mundo. E para assinalar o Dia da Mulher, deixo aqui umas flores do seu amigo Robert Mapplethorpe, um dos meu fotógrafos favoritos. Acho que ela também deve gostar.

segunda-feira, março 02, 2009